quinta-feira, 18 de julho de 2019

Semana de mobilização da sociedade em rádios e televisões

Presidente, vice e assessora técnica do Comitê Araranguá concederam diversas entrevistas a respeito das ações desenvolvidas, com foco na capacitação sobre “Reservação Hídrica”.


Durante quatro dias desta semana, da segunda, 15, até essa quinta-feira, 18, o presidente e vice do Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba, Luiz Leme e Sérgio Marini, respectivamente, bem como a assessora técnica e engenheira ambiental, Michele Pereira da Silva, estiveram mobilizados em diversas entrevistas por emissoras de rádio e televisão da região, divulgando as ações do Comitê, com foco na capacitação sobre Reservação Hídrica, a ser realizada nesta sexta-feira, 19.
  • Na segunda-feira, 15, o presidente Luiz Leme esteve na Rádio Araranguá no período da tarde e participou de uma entrevista com a jornalista Karen Suyam.
  • Na terça-feira, 16, a assessora técnica do Comitê concedeu entrevista para a Rádio Onda Jovem FM, de Forquilhinha, no início da manhã. Em seguida, acompanhada do presidente, visitou a RTV Criciúma e concedeu entrevistas para as jornalistas Morgana Salvador e Karol Carvalho. Já no período da tarde, Michele conversou com uma equipe de reportagem da TV Sul Catarinense, no CETRAR Epagri, em Araranguá.
  • Na quarta-feira, 17, a assessora técnica também conversou, ao vivo, com o jornalista Anderson de Jesus, da Rádio Difusora, de Içara. Posteriormente, no início da tarde, a engenheira ambiental e o vice-presidente do Comitê estiveram na Rádio Som Maior FM, de Criciúma, participando do Programa Do Avesso, com os jornalistas Mano Dal Pont e Pity Búrigo.
  • Por fim, nessa quinta-feira, 18, Michele concedeu entrevista por telefone para a Rádio Amorim FM, de Sombrio, no período da manhã. Na sequência, foi até a TV Sul Catarinense, em Araranguá, gravar uma participação no programa do jornalista Elias Pavani. Ao meio dia, Marini esteve na NSC TV, em Criciúma, participando do Jornal do Almoço, com a apresentadora Denise de Medeiros. E às 18h, a assessora técnica do Comitê foi até a Rádio Mampituba, também em Araranguá, falar sobre a capacitação.
Para o presidente do Comitê Araranguá, Luiz Leme, contar com o apoio dos veículos de comunicação é fundamental para levar as informações ao maior número possível de pessoas. “Foi uma intensa mobilização durante toda a semana, que, com toda certeza, resultará em uma boa participação da sociedade em nossa capacitação”, completa.

Francine Ferreira

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Comitê Araranguá chama população para debater sobre “Reservação Hídrica”

Capacitação gratuita, sobre a importância do armazenamento de água na região, acontece na próxima sexta-feira.


A necessidade de se discutir sobre a importância do armazenamento de água do Sul catarinense, diante da realidade de sermos a região com situação mais crítica de toda Santa Catarina, é o que motiva um chamado do Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba nesta semana, voltado para toda a população. Todos são convidados a participar de uma capacitação sobre “Reservação Hídrica”, a ser realizada na próxima sexta-feira, 19, na sede da Epagri, em Araranguá.
A realidade alarmante do Sul catarinense foi determinada pelo Plano Estadual de Recursos Hídricos, que avaliou a água disponível na região Sul como péssima, tanto em qualidade quanto em quantidade.
Neste cenário, o Plano da Bacia do Rio Araranguá também elencou o aumento da disponibilidade hídrica como primeira meta da região, no que diz respeito à preservação e gestão da água. “A ideia é reforçar a conscientização sobre a importância da reservação de água, seja em açudes de pequeno ou médio porte, ou até mesmo em barramentos coletivos”, destaca o vice-presidente do Comitê Araranguá, Sérgio Marini, que será um dos instrutores da capacitação.
Com oito horas de duração, das 8h às 17h30min, o evento é aberto para todos os interessados em participar, sejam representantes de entidades, organizações ou da sociedade civil. 

Inscrições devem ser realizadas antecipadamente aqui.

Marini ainda ressalta que, nos dias atuais, em momentos de maior demanda, já são registrados conflitos pelo uso da água no Sul do Estado. “Porque não estamos preparados para armazenar todo o recurso hídrico que nos é colocado à disposição, daí a necessidade de levar esse conhecimento para o maior número possível de pessoas, por meio da capacitação. É preciso realizar o monitoramento da nossa bacia hidrográfica e conhecer toda a água disponível nos rios para, a partir desse ponto, sabermos a demanda e oferta e, consequentemente, começarmos a trabalhar um processo de reservação, visando garantir água nos tão temidos momentos de estiagem”, completa.

Francine Ferreira


sexta-feira, 12 de julho de 2019

Comitê Araranguá realiza 53ª Assembleia Ordinária na próxima semana

Encontro está agendado para a quinta-feira, 18 de julho.

Os membros do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba estão convocados a participar, na próxima semana, de sua 53ª Assembleia Ordinária. O encontro está agendado para a quinta-feira, 18 de julho, com primeira chamada às 13h30min e início das atividades em segunda chamada às 14h, na sede da Epagri de Araranguá.
Conforme o presidente do Comitê Araranguá, Luiz Leme, serão discutidos os seguintes assuntos em pauta:
  • Aprovação da Ata da 52ª Assembleia Ordinária;
  • Alterações no plano de capacitações;
  • Situação da CASAN - Consórcio Intermunicipal;
  • Abertura das capacitações setoriais: “Como e por quê participar dos Comitês de Bacias?”;
Ainda segundo o presidente, caso o representante titular não possa participar da 53ª Assembleia Ordinária, deverá enviar o representante suplente. Se mesmo assim a entidade não puder se fazer presente, deverá mandar uma justificativa por escrito até a próxima segunda-feira, 15, para a Secretaria Executiva do Comitê Araranguá, por meio do email: comiteararangua@gmail.com.

Como e por que 
fazer parte do Comitê?

Em conjunto com a assembleia, três capacitações serão realizadas na quinta-feira. Divididos em setores governamental, usuários de água e sociedade civil, os membros serão reunidos para debater sobre “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?”.
Conforme a assessora técnica do Comitê Araranguá, engenheira ambiental Michele Pereira da Silva, a ideia é fazer com que os membros compreendam qual papel de suas entidades e o que cada uma delas pode contribuir no desenvolvimento de ações para uma gestão efetiva dos recursos hídricos.
“No seu dia a dia, essas entidades podem buscar desenvolver atividades que vão fortalecer a preservação da água, como por exemplo uma prefeitura com ações voltadas para o saneamento básico e escolas envolvidas em educação ambiental. Fazendo essa ligação, somamos esforços para um bem comum, cada um pensando em sua área de atuação, mas atuando juntos para ampliar e desenvolver ações com resultado maior”, acrescenta.

As inscrições para as capacitações sobre “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?” devem ser realizadas nos seguintes links:
  • Sociedade Civil: aqui;
  • Usuários de Água: aqui;
  • Setor Governamental: aqui.
Francine Ferreira

quinta-feira, 11 de julho de 2019

O aumento da reservação hídrica no Sul catarinense é tema de capacitação

Ação do Comitê Araranguá reforça a necessidade de se debater sobre a quantidade e qualidade da água na região.

Diante da realidade em que se encontra a região Sul catarinense, com a água em situação mais crítica de todo o Estado, torna-se cada vez mais necessário debater sobre as formas de armazenamento desse recurso para os próximos anos, principalmente em função da possibilidade real de períodos de estiagem. Por conta deste cenário, o Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba realiza na sexta-feira da próxima semana, 19 de julho, uma capacitação sobre “Reservação Hídrica”.
Com oito horas de duração, das 8h às 17h30min, o evento é aberto ao público e voltado para todas as pessoas, sejam representantes de entidades, organizações ou da sociedade civil, que tenham interesse em contribuir em discussões sobro o assunto. 
Inscrições devem ser realizadas antecipadamente pelo link.

A realidade alarmante do Sul catarinense foi determinada pelo Plano Estadual de Recursos Hídricos, uma vez que o estudo apontou que a água disponível na região Sul está em situação péssima, tanto em qualidade quanto em quantidade.

Além disso, de acordo com o vice-presidente do Comitê Araranguá, Sérgio Marini, que será um dos instrutores da capacitação, o Plano da Bacia do Rio Araranguá elencou o aumento da disponibilidade hídrica como meta número 1 para a região. “Trata-se de uma grande ação que o Comitê e a sociedade precisam trabalhar, em parceria com todas as instituições. A ideia é reforçar a conscientização sobre a importância da reservação de água, seja em açudes de pequeno ou médio porte, ou até mesmo em barramentos coletivos”, destaca.
Marini ainda ressalta que, nos dias atuais, em momentos de maior demanda, já são registrados conflitos pelo uso da água no Sul do Estado. “Porque não estamos preparados para armazenar todo o recurso hídrico que nos é colocado à disposição, daí a necessidade de levar esse conhecimento para o maior número possível de pessoas, por meio da capacitação. É preciso realizar o monitoramento da nossa bacia hidrográfica e conhecer toda a água disponível nos rios para, a partir desse ponto, sabermos a demanda e oferta e, consequentemente, começarmos a trabalhar um processo de reservação, visando garantir água nos tão temidos momentos de estiagem”, completa.

Como e por que 
fazer parte do Comitê?

Além da “Reservação Hídrica”, outras três capacitações também serão realizadas na próxima semana. Na quinta-feira, 18, juntamente com a 53ª Assembleia Ordinária do Comitê Araranguá, os membros serão divididos em setores – governamental, usuários de água e sociedade civil - para debater sobre “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?”.
Conforme a assessora técnica do Comitê Araranguá, engenheira ambiental Michele Pereira da Silva, a ideia é fazer com que os membros compreendam qual papel de suas entidades e o que cada uma delas pode contribuir no desenvolvimento de ações para uma gestão efetiva dos recursos hídricos.
“No seu dia a dia, essas entidades podem buscar desenvolver atividades que vão fortalecer a preservação da água, como por exemplo uma prefeitura com ações voltadas para o saneamento básico e escolas envolvidas em educação ambiental. Fazendo essa ligação, somamos esforços para um bem comum, cada um pensando em sua área de atuação, mas atuando juntos para ampliar e desenvolver ações com resultado maior”, acrescenta.
As inscrições para as capacitações sobre “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?” devem ser realizadas nos seguintes links:
  • Sociedade Civil: aqui;
  • Usuários de Água: aqui;
  • Setor Governamental: aqui.
Francine Ferreira

quarta-feira, 10 de julho de 2019

CONVITE - “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?”

No dia 18 de julho teremos três capacitações sobre: “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?”. 
Os membros interessados precisam se inscrever!
  • Sociedade Civil: aqui;
  • Usuários de Água: aqui;
  • Setor Governamental: aqui.




Francine Ferreira

terça-feira, 9 de julho de 2019

Encaminhamentos são debatidos entre membros da Comissão Consultiva

Entre os assuntos que entraram em pauta, estiveram a 53ª assembleia do Comitê Araranguá e as próximas capacitações.

Diversos assuntos em andamento no Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba entraram em pauta na tarde desta terça-feira, 9, durante a 9ª Reunião Extraordinária da Comissão Consultiva. O encontro aconteceu no Centro de Treinamento (CETRAR) da Epagri, em Araranguá.
Entre os temas debatidos, estiveram a 53ª Assembleia do Comitê Araranguá, a se realizar no próximo dia 18 de julho; a situação da Entidade Executiva; a futura câmara técnica de planejamento; o projeto de monitoramento hidrológico das Bacias dos Rios Araranguá e Mampituba; e as capacitações agendadas para a próxima semana.
De acordo com o presidente do Comitê Araranguá, Luiz Leme, reuniões como esta são necessárias para organizar e dar encaminhamentos às ações programadas. “Tratamos de assuntos referentes à pauta da próxima assembleia e revemos detalhes para que as capacitações seguintes sejam realizadas com bastante ênfase no que se propõem a abordar. As colocações feitas pelos membros da Comissão Consultiva foram importantes para que possamos ter diferentes visões acerca do que planejamos”, completa.

Capacitações
No que diz respeito às capacitações, para a próxima semana estão programadas diversas atividades, sempre no CETRAR Epagri, em Araranguá.
Na quinta-feira, 18, em conjunto com a Assembleia Ordinária, três capacitações setoriais serão realizadas das 14h às 18h, abordando “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?”, com membros do setor governamental, sociedade civil e usuários de água.
Já a sexta-feira, 19, será dia de outra capacitação, desta vez sobre “Reservação Hídrica”, das 8h às 17h30min. Todas as pessoas interessadas em saber mais sobre o tema são convidadas a participar.

As inscrições para as capacitações devem ser realizadas nos seguintes links:
  • “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?” - Sociedade Civil: inscrições aqui;
  • “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?” - Usuários de Água: inscrições aqui;
  • “Como e por que participar dos Comitês de Bacias?” - Setor Governamental: inscrições aqui;
  • “Reservação Hídrica”: inscrições aqui.
Francine Ferreira






CONVITE - Capacitação sobre "Reservação Hídrica

O Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba convida todos os seus membros, bem como pessoas interessadas da sociedade civil organizada, a participarem da capacitação sobre "Reservação Hídrica", a ser realizada na sexta-feira da próxima semana, dia 19 de julho de 2019, das 8h às 17h30min, na CETRAR Epagri, em Araranguá.

Inscrições devem ser realizadas neste link.



Francine Ferreira

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Comissão Consultiva se reunirá para 9ª Reunião Extraordinária

Encontro acontece na próxima terça-feira, 9, em Araranguá.

Os membros da Comissão Consultiva do Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba estão convocados para participar da 9ª Reunião Extraordinária do grupo. O encontro está agendado para a próxima terça-feira, 9, com início às 14h, na sede da Epagri de Araranguá.
Conforme o presidente do Comitê Araranguá, Luiz Leme, na pauta da reunião estarão os seguintes assuntos:
  • Ata da 84º reunião;
  • Pauta da 53ª Assembleia do Comitê Araranguá, a se realizar no próximo dia 18 de julho;
  • Situação da Entidade Executiva;
  • Câmara técnica de planejamento;
  • Projeto monitoramento hidrológico das Bacias dos Rios Araranguá e Mampituba;
  • Capacitação: Como e por quê participar do Comitê;
  • Demais assuntos gerais, entre eles o desligamento da ONG Sócios Natureza.
O presidente ainda reforça que, caso o representante da entidade não possa comparecer à reunião da Comissão Consultiva, deverá mandar uma justificativa por escrito até este sábado, 6, para a secretária Executiva do Comitê Araranguá, professora Yasmine de Moura da Cunha, por meio do email: comiteararangua@gmail.com

Francine Ferreira

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Extremo Sul em pauta durante reunião na Diretoria de Recursos Hídricos de SC

Entre os temas abordados, estiveram a outorga da água e a gestão dos Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba.

Em reunião realizada nesta terça-feira, 2, na sede da Diretoria de Recursos Hídricos de Santa Catarina, em Florianópolis, diversos assuntos que estão em andamento no Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba foram abordados pelo presidente, Luiz Leme, e vice, Sérgio Marini, que também preside a Associação Catarinense de Irrigação e Drenagem (ACID).
O encontro contou com a presença da diretora de Recursos Hídricos do Estado, Jaqueline Isabel de Souza; da engenheira ambiental Marcieli Visentin; e do membro da ACID, Jonas Ortolan.


“O primeiro assunto tratado foi a questão da outorga da água, uma vez que, para todo o Sul catarinense, o prazo para protocolá-la junto à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável é 16 de janeiro de 2020 e todos os produtores precisam se organizar até esta data”, afirma Marini.
Já outro assunto debatido, conforme o vice-presidente do Comitê Araranguá, foi a reservação de água nas propriedades. “O Estado vai desenvolver políticas para apoiar o setor, buscando parcerias com cooperativas, associações de irrigação e produtores, para que possamos usar a água de uma forma mais racional. No próximo ano deveremos fazer medição de vazão, principalmente nos maiores consumidores, visando garantir a sustentabilidade para as próximas gerações”, completa.
De forma geral, segundo Marini, foi possível perceber que a nova Diretoria de Recursos Hídricos possui um interesse em buscar, de forma constante, por meio de pesquisa e investimentos, formas para que a região avance na gestão da água. “A diretora nos comentou que, como há muitos conflitos, com medidas de uso racional vamos conseguir diminuir essas situações, sempre buscando parcerias com as entidades dos setores envolvidos”, acrescenta.

Afluentes Catarinenses
do Rio Mampituba
Um assunto que também foi abordado com a nova diretora de Recursos Hídricos foi a integração existente atualmente com o Comitê Gaúcho do Rio Mampituba, por conta da gestão compartilhada da Bacia, uma vez que diversos afluentes do manancial estão do lado catarinense, no Extremo Sul do Estado.
“As diretorias anteriores conversaram para a elaboração do Plano da Bacia do Rio Mampituba e, na próxima semana, nossa diretora ficou de ir até o Rio Grande do Sul para se encontrar com o diretor de Recursos Hídricos do estado vizinho, Paulo Paim. Na reunião do início desta semana falamos sobre o fortalecimento da gestão compartilhada da Bacia do Rio Mampituba, bem como a gestão de conflitos no local”, finaliza o presidente do Comitê Araranguá.

Francine Ferreira


segunda-feira, 1 de julho de 2019

Comitês já organizam 3º Diálogo entre Bacias Hidrográficas do Extremo Sul Catarinense

Evento, que deve acontecer em agosto, abordará a temática: “Água e Saneamento para Todos: Pactos de Gestão”.

Seguem a todo vapor os preparativos para o “3º Diálogo entre Bacias Hidrográficas do Extremo Sul Catarinense”, uma parceria dos Comitês das Bacias do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba e do Rio Urussanga, juntamente com a Associação de Proteção da bacia Hidrográfica do Rio Araranguá (AGUAR), que é a Entidade Executiva de ambos. Neste ano, o evento está previsto para agosto e terá como tema: “Água e Saneamento para Todos: Pactos de Gestão”.
O objetivo da ação é promover parcerias, fortalecer a cooperação e a capacidade de implementar ações de gestão sustentável da água e saneamento, para atender às demandas hídricas ambientais e socioeconômicas nas bacias hidrográficas do extremo sul catarinense. A intenção da comissão organizadora é trazer para a região palestrantes com experiências sobre pactuações na gestão de água e na área de saneamento básico, que é um dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU).


“O acesso à água potável e ao saneamento é essencial para a saúde humana, para a sustentabilidade ambiental e para a prosperidade econômica. Esses objetivos foram deliberados pela ONU, em 2015, juntamente com as 169 metas universais para serem implementadas, por todos os países, até 2030”, argumenta a técnica em recursos hídricos da AGUAR que atua para o Comitê da Bacia do Rio Urussanga, Rose Adami.
Diversas reuniões de preparação já foram realizadas nos últimos meses, envolvendo principalmente a secretária Executiva do Comitê Araranguá, professora Yasmine de Moura da Cunha, e a equipe da AGUAR, composta pela coordenadora Cenilda Mazzuco e as técnicas Michele Pereira da Silva e Rose Adami.
“Esta terceira edição do evento demonstra a frutífera parceria entre os dois Comitês, que neste ano inclui ainda os Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba. O público alvo do evento inclui arquitetos, estudantes, engenheiros, biólogos, geógrafos, geólogos, gestores públicos (prefeitos, vereadores, secretários municipais), membros dos Comitês, professores, técnicos de órgãos municipais ambientais e todos os interessados pela gestão de recursos hídricos das bacias hidrográficas da RH10”, destaca Yasmine.

Relembre
O “Diálogo entre Bacias Hidrográficas do Extremo Sul Catarinense” é um evento realizado desde 2015 pelos Comitês das Bacias do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba e do Rio Urussanga, com o intuito de socializar as práticas de gestão de recursos hídricos realizadas nas diversas instituições das bacias hidrográficas nesta região de Santa Catarina. A intenção é fortalecer e integrar as ações de gestão de recursos hídricos e fomentar o diálogo entre os atores sociais.
Com caráter participativo, a iniciativa envolve os diversos setores como poder público, usuários de água e a população. A área de abrangência dos dois Comitês pertence à Região Hidrográfica do Extremo Sul Catarinense (RH10) e, como as demais bacias da Vertente Atlântica, no Sul do Estado, possuem suas nascentes localizadas na Serra Geral.
Os rios das três bacias hidrográficas juntos drenam em superfície os territórios de 29 municípios, com população aproximada de 760.420 habitantes (IBGE, 2010), distribuídos em uma área de 4.991,53 quilômetros quadrados.
A secretária Executiva do Comitê Araranguá lembra que, em sua primeira edição, no ano de 2015, o tema do evento foi a “Socialização de Práticas de Gestão de Recursos Hídricos”, cuja temática atendia a necessidade de divulgação e integração dos setores usuários de água das Bacias dos Rios Araranguá e Urussanga, bem como o desenvolvimento e o fortalecimento de trabalhos de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidos nas instituições de ensino, no âmbito das bacias hidrográficas.
“Já na segunda edição, em 2017, o tema foi “Áreas produtoras de água – pactos de gestão”, com intuito de despertar a responsabilidade na sociedade civil, nos setores usuários de água e no poder público, para a manutenção das áreas produtoras de água necessárias nas atividades socioeconômicas e ambientais das bacias”, completa.
Em todas as oportunidades, os Comitês contaram com a parceria da Associação Empresarial de Criciúma (ACIC), que sempre cedeu o espaço para a realização do evento.

Francine Ferreira